O que é o bruxismo diurno

Postado em

O bruxismo, hábito involuntário de ranger e apertar os dentes, pode incomodar enquanto você dorme. Mas a sua versão mais perigosa é o chamado bruxismo de vigília, que se passa durante o dia. O problema maior é que ele vai acontecendo gradativamente, além de ser mais frequente que a versão noturna. Pior: muitas pessoas podem sofrer de ambas as condições, agravando o quadro.

Dados de uma pesquisa realizada por instituições canadenses indicam que o bruxismo diurno pode afetar uma em cada cinco pessoas, ou seja, 20% da população mundial. Esse distúrbio é furtivo, sendo dificilmente percebido por quem tem a mania de ranger os dentes durante o dia. Porém, o corpo dá avisos de que algo errado está acontecendo.

Entre os sintomas que aparecem, podemos citar dores de cabeça, nos dentes, no pescoço, na mandíbula e na articulação temporomandibular (ATM), aquela que liga a mandíbula ao crânio, com estalos ao abrir e fechar a boca. Ainda podem aparecer dores e zumbidos nos ouvidos, enxaquecas e o temido desgaste dentário. Em casos mais graves, podem ocorrer até insônia e falta de apetite.

Entre os tratamentos, a conhecida placa de proteção dentária. Porém, o que pode resolver o problema de maneira mais eficaz é a aplicação de botox em áreas específicas da musculatura da face, dependendo da gravidade do caso. É como se a toxina botulínica desligasse os impulsos nervosos que contraem essa musculatura, aliviando a tensão da região.

A aplicação dura em torno de 30 minutos, sendo que o relaxamento muscular é observado a partir de 48 horas, com o resultado final aparecendo por volta de 15 dias após o procedimento. O efeito do tratamento tem duração de quatro a seis meses, dependendo do metabolismo do paciente.

 

 

 

 

 

 

 

 

Foto: Dental Press

  • Compartilhar

0 Comentários

Deixe um comentário

Seu e-mail não ficará visível.