Esquecimento é sinal de inteligência

Postado em

Um novo estudo conduzido na Universidade de Toronto, no Canadá, chegou a uma conclusão que a gente até devia saber, só não lembrava: ser “esquecido” é sinal de inteligência acima da média. Tem gente que se esquece de tudo: datas especiais, compromissos, consultas médicas, produtos que precisa no mercado… a lista pode ir longe. Como dizem as avós, só não esquece a cabeça porque está grudada no pescoço.

Essa memória fraca pode ser chata e trazer momentos cheios de mal estar e desconforto, mas agora sabemos que não há nada de errado em ser assim. Na verdade, os resultados da pesquisa mostraram que o esquecimento é um processo natural do cérebro. Então, aquela ideia que temos de que alguém com a memória afiada é mais inteligente foi por água abaixo, já que foi percebido que quem tem falhas de memória pode se tornar mais inteligente em longo prazo.

Explica-se: a área onde guardamos a memória – o hipocampo – precisa ser limpa de vez em quando, mantendo guardado apenas o que é importante e desapegando do que não é. Além de fazer essa filtragem, o cérebro também substitui o que não é relevante por memórias novas. Assim, quando está cheio de memórias, é mais provável que tenha dificuldades na tomada de decisões.

Viu só? Até dentro do cérebro menos é mais. Guarde consigo o que realmente precisa, desapegue-se e seja feliz, mesmo um pouco esquecidinho. No decorrer da vida, o que vale mesmo são os melhores momentos, concorda?

  • Compartilhar

0 Comentários

Deixe um comentário

Seu e-mail não ficará visível.