Dica de livro: “Vidas Muito Boas”

Postado em

Época de férias chegando, presente de Natal pra escolher, que tal investir em um livro que pode ser inspirador e que estimule sua vitória? Essa é a essência de “Vidas muito boas”, a publicação do discurso que J.K. Rowling deu como paraninfa na Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, em 2008.

Você deve lembrar do nome dessa autora: ela é responsável pela série de livros do Harry Potter. Mas o que ela poderia ter dito de tão interessante nessa sua fala que tenha se tornado um livro? Não tem a ver com autoajuda, mas sim com estímulo. Na ocasião, foi para os formandos da Universidade, mas agora todos têm acesso a essas palavras especiais.

Em “Vidas muito boas”, a escritora fala sobre como podemos usar nossa imaginação para melhorar o que nos cerca e a nós mesmos, além de provocar com a afirmação de que fracassos não são somente inevitáveis, mas também necessários. Afinal, sem o tombo, como aprendemos a levantar?

O livro é um meio de refletir sobre nossas escolhas, acreditando que sempre há uma luz no fim do túnel: nossa capacidade vai nos levar adiante, buscando (e encontrando!) soluções para todos os problemas que insistirem em aparecer no caminho.

O livro é curtinho, como uma conversa entre amigos, mas consegue mandar muito bem a mensagem de que assumir riscos tem sua importância. “Talvez vocês não fracassem na escala que eu fracassei, mas é inevitável ter algum fracasso na vida. É impossível viver sem fracassar em alguma coisa, a não ser que vocês vivam com tanto cuidado que acabem não vivendo de verdade – e, neste caso, vocês fracassam por omissão”, afirmou J.K. Rowling.

Capa

  • Compartilhar

0 Comentários

Deixe um comentário

Seu e-mail não ficará visível.