Conheça os tipos de aparelho ortodôntico

Postado em

Para cada caso, um tipo de aparelho ortodôntico é adequado, indicado por um profissional. As opções são diversas, já que cada pessoa é única e especial. Além da saúde bucal, a estética deve ser sempre levada em consideração, já que aparelho nos dentes, em qualquer idade, pode melhorar a autoestima. O modelo escolhido, em conjunto com o dentista, vai alinhar seu sorriso sem deixar a saudável vaidade de lado.

Existem diversos tipos de aparelhos, que podem ser divididos entre móveis e fixos, corrigindo a dentição e também remodelando a estrutura óssea. Conheça alguns dos exemplos mais conhecidos:

Aparelho fixo: é o mais comum. A estrutura é aquela super conhecida, dos braquetes de metal colados nos dentes e ligados por fios. Atualmente, eles andam muito mais modernos e anatômicos, confortáveis para a boca. Sua função é mover os dentes gradualmente para a posição correta. Há ainda a opção estética, com a mesma função do fixo comum, mas com os braquetes feitos de outro material, em geral porcelana, safira ou policarbonato. Eles são transparentes, tornando o tratamento mais discreto. Outra versão é o aparelho autoligado, onde não se usa elásticos (borrachinhas) para prender os braquetes ao fio, mas sim uma espécie de tampinha, presente na peça, que faz essa ligação, tornando o tratamento mais confortável para o paciente e por muitas vezes, diminuindo o tempo de aparelho.

Aparelho lingual: nessa opção, os braquetes são colocados na parte de trás dos dentes, ficando invisíveis para os outros. Entre os pontos positivos, a questão estética. Entre os negativos, o desconforto para a língua, até se acostumar com o aparelho. Esse modelo é bastante utilizado por praticantes de esportes de maior contato, pois uma pancada poderia causar cortes na boca de quem usa aparelho comum.

Aparelho ortopédico (pode ser fixo também): é mais utilizado em crianças, por volta dos cinco anos de idade. Se colocado na idade correta, evitará problemas futuros como falta de espaço para os dentes permanentes, e pode também colaborar para a devida harmonia no crescimento das arcadas (mandíbula e maxila). Quando não for fixo, o seu uso deve ser constante, já que, se deixar ele de lado prejudica – e muito – o resultado final do tratamento.

Alinhadores transparentes: eles são translúcidos e projetados digitalmente para se adequarem a cada paciente. Podem ser retirados em momentos específicos, como na hora de escovar os dentes ou passar fio dental, e tendem a ser mais confortáveis que os aparelhos fixos. Em contrapartida, precisam ser utilizados por um número de horas específicas ao dia para surtirem resultados.

Aparelho móvel: Quando retiramos o aparelho, é de suma importância o uso do aparelho móvel, como forma de contenção (para que os dentes não voltem a entortar).

  • Compartilhar

0 Comentários

Deixe um comentário

Seu e-mail não ficará visível.