Bruxismo pode surgir ou agravar na quarentena

Postado em

Que estamos vivendo em um momento de grande tensão por conta da pandemia do COVID-19 não é novidade, mas diversas consequências podem surgir por conta do isolamento e da situação em si. Preste atenção em sinais como dor na mandíbula ou de cabeça ao acordar, ou ainda sentir os dentes doloridos: pode ser bruxismo.

Ele se caracteriza como um hábito involuntário de ranger e apertar os dentes. As causas desse mal podem ser estresse, ansiedade, disfunção do sono, efeitos colaterais de alguns medicamentos e até desalinhamento dos dentes. Pode ser dividido em dois tipos: bruxismo de vigília (que acontece durante o dia) ou bruxismo do sono (enquanto dormimos). Muitas pessoas podem sofrer de ambas as condições, agravando o quadro.

A utilização de uma placa protetora, usada principalmente na hora de dormir, evita maiores desgastes nos dentes. Existe um tratamento disponível, muito mais eficiente, com a aplicação de toxina botulínica (botox) na musculatura, que promove um relaxamento dos músculos faciais. Com esse relaxamento, cessam as dores nas articulações da mandíbula, dores de cabeça, tensão na região cervical. Mais vantagens: impede novos desgastes e até fraturas dos dentes.

A aplicação dura em torno de 30 minutos, sendo que o relaxamento muscular é observado a partir de 48 horas, com o resultado final aparecendo por volta de 15 dias após o procedimento. O efeito do tratamento tem duração de quatro a seis meses, dependendo do metabolismo do paciente.

Venha para o Instituto Novva e faça uma avaliação com os nossos profissionais.

  • Compartilhar

0 Comentários

Deixe um comentário

Seu e-mail não ficará visível.