Autoestima na depressão pós-parto

Postado em

Depressão pós-parto é assunto sério: entre 50% a 80% das mulheres têm algum sentimento de tristeza após dar à luz, mas geralmente eles vão embora lá pela terceira semana a partir do nascimento da criança. Mas existem novas mamães – para citar mais números, de 10% a 15% – que sofrem desse mal, caracterizado mais comumente por tristeza profunda, angústia e ansiedade.

Não há nada de errado em fazer parte desta porcentagem: é obviamente mais comum do que parece e, principalmente, não é um bicho de sete cabeças que deve ser evitado ou, pior, deixado de lado fingindo que não é um problema sério. A procura por tratamento e acompanhamento psicológico é essencial, até porque pedir ajuda não é fraqueza. E nesse turbilhão de emoções, a autoestima da mãe escapa ralo abaixo.

Você pode olhar no espelho e não se reconhecer. Mudou cabelo, mudou pele, mudou peso, mudou formato do corpo. Nos primeiros tempos com o serumaninho é claro que a mãe não vai poder se dedicar muito a ela mesma: o baby chora, mama, tem dores, o sono é irregular… ih, é um turbilhão! Mas depois de um tempo, pegando o jeito da criança e se acostumando com a nova vida que chegou, aí não tem desculpa esfarrapada suficiente para não olhar para si.

É só questão de se organizar e também delegar tarefas: pode até parecer, mas você não é uma supermulher não! É humana, demasiado humana, com limites e necessidade de descansar. Após interiorizar isso: encare o espelho sem neuras. Aceite que você não é nem nunca mais será a mesma pessoa, e isso é só vantagem. Mas se tem algum pontinho estético a ser resolvido, que tal passar pelo Instituto Novva e conversar com nossos profissionais? Nunca, JAMAIS, sinta-se culpada por decidir cuidar de você e da sua aparência. Lembre-se que a mãe feliz consigo mesma cuida ainda melhor da sua cria.

 

  • Compartilhar

0 Comentários

Deixe um comentário

Seu e-mail não ficará visível.