Agosto Dourado é mês de celebrar o aleitamento materno

Postado em

Na verdade, todo mês é especial, toda hora é hora de fortalecer a ideia de que o leite materno é o alimento mais completo para o bebê. Porém, ainda assim, o Congresso brasileiro instituiu, desde 2017, que agosto é o período do ano dedicado a informar e debater a importância da amamentação. E o Agosto é Dourado porque o leite materno vale ouro para a saúde dos bebês.

Reunimos aqui algumas das dúvidas mais frequentes sobre a amamentação durante os primeiros dias e semanas dos bebês. Esse é um período sensível e desafiador para as mães, que devem ter acesso a todas as informações possíveis para ficarem sempre tranquilas e aproveitarem cada momento com seu bebê. Lembramos, também, que cada caso é um caso e que a recomendação médica deve ser sempre respeitada.

As mulheres que estão amamentando têm restrições sobre o que consumir?
Sim, algumas. Por exemplo, chocolate e café podem ser consumidos, mas em pequena quantidade. Até duas xícaras pequenas de café por dia, tudo certo. Já o chocolate, a recomendação é até 25 gramas diariamente. A lactante pode comer de tudo com moderação, porém deve evitar são os refrigerantes e sucos ácidos – como de limão – pois eles mudam o pH do sangue e podem alterar o leite. Álcool, nem pensar! Nem aquele golinho inocente passa incólume: 100% dele vai direto para o leite materno.

É normal sentir dor no bico do seio quando o bebê começa a mamar?
Não. A mãe só vai sentir dor se a pega estiver errada. Às vezes, quando estiver começando a dar de mamar, a mulher pode ter sensibilidade, mas não dor. Também é importante lembrar que o bebê tem que abocanhar uma grande parte da aréola e não somente no bico. Além disso, depois da mamada, o mamilo tem que sair redondinho, e não amassado.

É normal a produção de leite diminuir, mesmo se o bebê estiver mamando normalmente?
Não. O que pode acontecer é a mãe ter essa impressão. Isso porque, nos primeiros dias após o parto, ela produz uma grande quantidade de leite, maior do que a criança precisa. É nessa hora que a mama fica cheia e pode até empedrar. A partir do quinto dia, a produção começa a se equilibrar, tendo a quantidade ideal para alimentar o bebê.

Após a amamentação, por quanto tempo é preciso deixar para o bebê arrotar?
Depois que ele mamar, o ideal é colocá-lo na posição vertical para arrotar por aproximadamente 15 minutos. E às vezes, mesmo arrotando, o bebê pode golfar. Isso é normal: o intestino dos pequenos ainda está se desenvolvendo, então eles podem fazer força para evacuar e, nisso, acabarem comprimindo a barriga e jogando o leite para fora.

É normal um seio produzir mais leite do que o outro, mesmo quando a mãe oferece as duas mamas igualmente?
Sim. Na maioria das mulheres, a saída do leite é maior em um dos peitos. O bebê, malandro que ele só, dá preferência para aquele seio em que o fluxo é maior. Então, é essencial sempre oferecer as duas mamas. A dica é começar por aquela que tem menos leite, até insistir um pouco, pra só depois dar a que está mais cheia.

 

 

 

Foto: Jonas Rosa

  • Compartilhar

0 Comentários

Deixe um comentário

Seu e-mail não ficará visível.